AzTudo na frente Com Voce



                               



                    Diplexer, Diseqc, Divisor,Comutadora


O que é DIPLEXER? (Misturador)

O nome Diplexer vem de Duplex, que significa duplo, que equivale a duas vezes ou que se duplica em funções, que opera em dois modos ou dois sistemas ou um sistema de comunicação composto por dois pontos que comunicam entre si em ambas as direções, no nosso caso são sinais de RF que são mixados e depois separados.


O Diplexer serve para combinar e separar o sinal da antena terrestre VHF, UHF (55 MHz à 890 MHz)  com o sinal da parabólica banda C ou Ku (950 MHz à 2500 MHz), utilizando um único cabo.

A instalação do Diplexer é simples, você deve utilizar sempre dois Diplexer um junto as antenas para misturar os sinais da antena parabólica e antena comum, e outra perto da TV e receptor de parabólica para separar os sinais de RF. Ele suporta outros componentes no sistema de antenas, entre eles as chaves de alta frequência para LNBF multiponto e misturadores de sinal VHF e UHF de antenas Locais.


Ao utilizar esse recurso, também tem a possibilidade de redução de custos de material e trabalho ao reaproveitar um cabo já disponível ou em uma instalação nova utilizar apenas um cabo para ambos os sinais. Funciona com receptores Digitais e Analógicos (Antenas bandas C e KU) bem como as antenas das operadoras de TV por assinatura.

É aconselhável proteger o Diplexer do tempo, principalmente da chuva, apesar de brindados e à prova de intempéries, uma pequena infiltração de água pode causar danos e perdas no sinal de RF. Ao instalar o Diplexer deixe o receptor de satélite desligado.


O que é Diseqc?(Chave de Comutação de LNBF´S)

O Diseqc (Digital Satellite Equipment Control) é um protocolo de comunicação entre o receptor de satélite e dispositivos de multi antenas ou motores diseqc.

Com o Diseqc é possível captar diversos satélites usando apenas um receptor de satélite e ligando a ele diversas antenas ou motores que controlam antenas parabólicas, e o receptor vai conseguir controlar automaticamente a mudança de sinal captado entre um satélite e outro.

O DiSEqC foi desenvolvido pelo provedor de satélites europeu Eutelsat , que atualmente é quem dita os padrões para o protocolo Diseqc.A chave Diseqc permite comunicação unidirecional e também bidirecional, entre o receptor de satélite e o equipamento que está sendo usando na outra ponta do cabo. Depende do padrão da chave Diseqc para a comunicação ser uni ou bidirecional.

As variações da chave Diseqc são:

DiSEqC 1.0 – É a versão básica deste tipo de comutação, sendo unidirecional, o que significa que só permite a emissão a partir do receptor para o comutador do mesmo tipo. Controla um máximo de 4 entradas e uma saída;

DiSEqC 1.1 – Semelhante ao anterior, mas pode controlar até 16 entradas de sinal, por permitir efetuar a comutação com outros comutadores semelhantes;

DiSEqC 1.2 – A principal função desta versão é a possibilidade de mover antenas, por utilização de um motor elaborado especialmente para este protocolo. Por outro lado, pode igualmente, e ao mesmo tempo, à semelhança do DiSEqC 1.1, criar outros quatro sinais de controle e selecionar até 16 outras antenas de recepção;

DiSEqC 2.0 – Versão semelhante à 1.0, mas, por sua vez, além da comutação permite o diálogo nos dois sentidos de modo a poder fornecer os dados relativos à comutação ao operador;

DiSEqC 2.1 – Semelhante ao DiSEqC 1.1, mas com informações de retorno para o operador;

DiSEqC 2.2 – Semelhante ao DiSEqC 1.2, mas igualmente com "feedback" de dados relativos ao posicionamento e comutação;
A possibilidade de informação de retorno é importante, na medida em que se pode a qualquer momento aferir o estado da instalação.


Para além dos relatados anteriormente, existem ainda outros tipos de DiSEqC, tais como o Mini DiSEqC e o DiSEqC 2.3:

Mini DiSEqC – É um tipo de DiSEqC simplificado, o qual não sobrecarrega demasiado o receptor, permitindo somente a comutação de duas vias de entrada, A e B, o qual consta de um ou dois tons de nove impulsos do estado lógico 1, numa sequência de cerca de 12,5 m;
DiSEqC 2.3 – Desenvolvido pela Aston, permite, nos equipamentos da marca, a interação entre o receptor e o motor DiSEqC no formato 2.3, o qual proporciona retorno de posição e de outros dados para o receptor.

As quatro primeiras variações foram padronizados em fevereiro de 1998, antes do uso geral da televisão digital por satélite. As versões posteriores são compatíveis com as revisões mais antigas, mas as revisões mais antigas não são completamente compatíveis com os padrões mais novos.

Se você tem um receptor de satélite que só é compatível com Diseqc 1.0, não adianta comprar uma chave Diseqc com padrão 1.1 que não vai funcionar nele.Mas se você tem um receptor de satélite compatível com Diseqc 1.1 ele vai funcionar com chaves Diseqc 1.0 e 1.1. Veja abaixo o esquema basico de instalação residencial.



O Que é um Divisor? (Split ter)

Existem divisores de alta frequência que trabalha em 950 MHz à 2500 MHz, e de baixa frequência 55 MHz à 900 MHz. O Divisor de alta é indicado para dividir o sinal de satélite banda C ou KU, já o de baixa é utilizado para dividir o sinal de TV local (canal 2 a 83).

A instalação do Divisor é simples, mais fique atento qual tipo usar. O cabo coaxial que vem da antena parabólica ou terrestre será conectado na entrada do divisor de sinal e em cada saída do divisor de sinal será conectado a um cabo coaxial para cada TV ou receptor que deseja obter sinal.





Existem vários tipos de divisores, para TV e é determinada pelo número de entradas e saídas. Dois, três ou quatro saídas são as mais comuns, enquanto uma única entrada é o padrão. Tome cuidado para não confundir com o diseqc ou o diplexer. Veja abaixo a diferença entre divisor, diplexer e diseqc.


O que é TAP (Tomada)
O TAP tem a mesma função do divisor à única diferença entre TAP e divisor é a perda de sinal, no splitter o sinal sempre sai com perdas já no TAP não.  Eles são usados conforme a conveniência do sinal da residência, quantidade de pontos, distância de cabos e tipo de serviço conectado.

Normalmente usados na distribuição de prédios, por isso o sinal costuma vir amplificado para poder ser dividido muitas vezes. Funciona basicamente como um registro que diminui a pressão d´água para não exceder o fluxo. A tomada TAP corta um pouco do sinal os enviando para os outros terminais. Para cada apartamento uma tomada TAP diferente é instalada.

Existem Tap's de diversos valores,os mais comuns são de 6,9 e 12. Esse valor é a atenuação de sinal da saída TAP, esse mesmo TAP tem outra saída chamada OUT onde o sinal sofre menos atenuação, quanto maior for o valor do tap maior a perda da saída tap e menor a perda da saída OUT.

Os valores devem ser atenuados de forma que cumpram os limites de sinal da TV de 0 à 20 dBmV.



 CHAVE COMUTADORA

Essas chaves são usadas para dividir o sinal entre muitos receptores.
Devem ser usados lnbs duplos. Uma saída vai ser usada para pegar as tps H e a outra para as tps V.
O receptor funciona como se fossem 2 satélites diferentes (embora seja o mesmo logico). 
Se nos dividimos o sinal de um lnb simples entre 2 ou mais receptores, o sinal pode ficar travando cada vez que um dos receptores tentar abrir um canal vertical, e outro estiver em uma tp horizontal, por exemplo.
Fazendo uso das chaves Multi Switch não existe esse problema porque a chave recebe dois sinal independentes (um de 13 e outro de 18 volts) e não mistura isso

Vamos explicar de outro jeito:
vamos supor que você tem uma antena apontada para o Starone C2 e tem um lnb duplo.
As duas saidas do lnb vão para uma chave diseq input 1 e input 2.
a saida da diseq é enviada ao seu receptor.
No receptor vc configura o LNB1 para receber somente tps H e o LNB2 para receber as tps V.
Faz duas busca cegas como se fossem dois satélites diferentes.
Finalmente vai ter a grade completa dos canais juntos, tps H e V.

A chave MULTI SWITCH faz isso e alem disso divide o sinal para 2, 4, ou 8 receptores.
Existem muitas chaves MultiSwitch que s também tem uma entrada para os canais de ar, e nesse caso o sinal VHF sai misturado com o canal satelital, então depois em cada receptor temos que colocar uma outra chave DIPLEXER.

Se não vamos usar antena de VHF ligada na chave, não é necessário usar o Diplexer.
Se a chave for boa, não deveria ter problemas de perdas de tps em nenhum dos receptores vários a ela conetados.
Devemos ter a precaução de configurar dois satélites diferentes no receptor, e deixar configurado em cada caso que por exemplo no LNB1 so vamos fazer busca na polaridade horizontal, ou vertical, se preferirem.
Porque se cada receptor ficar enviando tensões diferentes para o mesmo grupo de saídas do switch a coisa esquenta e complica.
Pensemos que se um receptor estiver enviando 13 volts (polaridade Vertical), para o LNB Duplo saída A, nao podemos ter outro receptor do esquema enviando 18 volts (polaridade Horizontal) para esse mesmo LNB Duplo saída A, porque vai dar problemas, no minimo vai travar, mas pode queimar o lnb, a chave ou a propiá fonte do tuner do receptor.

Nao é fácil mexer com estas chaves sem ter experiencia e PACIÊNCIA.
Imaginem ficar ligando os tuners dos Bravissimos ou do s925, miniDuo, etc, etc que sao por demais sensíveis a curtos... :o 

Outro problema que existe é que estamos geralmente trabalhando com Firmwares "capadas" e "modificadas".
dai que existem muitos bugs perigosos que podem nos complicar a vida porque podemos configurar que o receptor tenha saida somente Horizontal (13 volts), mas de repente mudando de canal no receptor em alguma tp temos uma saída de 18 volt que nao deveria estar ahi.
Cada receptor é uma historia diferente  :!: 
Tambem temos o problema de que em muitos receptores nao temos a opçao de configurar uma polarização determinada ( H ou V), simplesmente temos uma configuração padrão "polaridade automática", e ai nao podemos fazer muita coisa.
Como fazer ??
Bom, o primeiro a fazer e configurar nossos receptores para DESATIVAR a alimentação do LNB.
Isso porque provavelmente a chave do prédio pode ja ter sua propiá alimentação funcionando independentemente dos receptores, ou tambem pode ser que a operadora tenha configurado um determinado receptor para se encarregar dessa tarefa e o resto simplesmente vai conetado de "LOOP" no esquema. (o lnb somente precisa receber uma só alimentaçao de uma só fonte e dai divide o sinal de frequencias para todos os outros receptores que sao "passivos").
Entao vamos procurar no menu do receptor a opçao desativar alimentaçao do lnb, desse jeito protegemos a fonte do nosso aparelho.
Se temos sorte vamos ver que nas saidas do Multiswitch existe tensao, entao isso prova que o lnb ja esta alimentado por outra fonte no sistema.

Se existe mais de uma chave Multiswitch conetada então complica mais ainda porque temos que primeiro entender e ver como estao feitas as ligações. Pode ser que tenhamos 2 chaves de oito saidas cada uma (para um total de 16 receptores) e ai as configuraçoes do menu podem ter que mudar.
1 - Na entrada de 18v e 13v eu devo ligar os 2 cabos que vem do lnbf duplo certo?
Certo
2- Nas quadro saídas vai 1 cabo de cada saída para cada receptor (somente 1 cabo) certo?
Certo
3 - Meu aparelho é Azbox e tem 2 LNB a e B, mas somente estou usando o cabo no LNB A no C2
Tem que ver só se é um DVB-S2 o 2º tuner
4 - devo configurar no LNB A (os dos satélites) C2 A com os canais V e C2 B com os canais H
Não, a configuração é normal com essa chave comutadora, como se tive-se ligado direto no LNB.
5 - Ligar o cabo que vem de uma das 4 saídas no LNB A, aonde esta os 2 satélites configurados certo? pois o amigo ai em cima flw, tem que subir 2 cabos para ligar em uma única saída.
Não consegui entender. A chave Comutadora 3X4 serve somente para um sat com LNB duplo, onde uma saída faz o H e a outra a V. Ela serve para se ligar um sat em 4 receptores, se por mais sat'elites terá que por mais chaves, e diseqc's para misturar. Ainda não testei...
Está sem a terrestre e por isso sem a diplexer também. O LNB da direita (30°W) seria somente para o caso de SKS, podendo ser alterado pelo 61°W com um LNB quadruplo (se elimina um LNB) e 2 comutadoras, isso para 4 receptores. Para 2 receptores basta LNB duplo e se usa duas saídas para canais e 2 para chaves.

Tenho 4 comutadoras, conforme esquema. Antes do comprar os outros 3 testei 1 em 3 receptores e funcionaram normalmente sem ter que alterar nada nas configurações, nem separar o sat em V e H. Pelo que andei lendo é no sistema SMU que se faz a separação.
O esquema para por 1 sat :

O diplexer será usado se tiver a terrestre conectada na comutadora, tem que separar os sinais, 1 em cada receptores
Ex: dividir o sinal do satélite 70w entre 4 receptores

Acho que este desenho esclarece mais... desce um cabo para cada receptor:


O cabo que vai para o receptor é somente dos canais.
A ligação do cabo das keys é com outra antena ou outro lnb.

Como neste exemplo:
Chave comutadora com fonte externa

Créditos: Forum azbrjason/ Gigasatbrasil

Tags do Post:

No Comment to " ENTENDA COMO FUNCIONA CHAVE DISECQ, COMUTADORA , DIVISOR MULlTISWITC-28/03/2018 "

Não divulgue nada como propagandas e links, não xingue!

Faça um comentário significativo que seja construtivo ao blog AZ-TUDO!

AZ-TUDO INDICA

Seguidores

AZ-TUDO INDICA

BANNER PARCEIROS